segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

RESPONSABILIDADE E EXCELÊNCIA NA MINISTRAÇÃO PROFÉTICA

Graça e Paz!

Quero compartilhar com vocês esse protocolo profético, escrito pelo profeta Cliff Bel, e que é protocolo - regra  do ministério Christian International.

Acreditamos ser altamente relevante para esse tempo em que estamos vivendo. Espero que desperte consciência de muitos e apliquem em seus ministérios esse protocolo também.
Pastor apostólico Luiz Carlos




RESPONSABILIDADE E EXCELÊNCIA NA MINISTRAÇÃO PROFÉTICA

Com maiores níveis de autoridade, há maiores níveis de responsabilidade. Com a ministração dos dons do Espírito Santo – especialmente com a profecia – se requer maior maturidade e responsabilidade.
O profetizar como porta voz de Deus na vida de outra pessoa não se deve fazê-lo com pressa. Vem com uma responsabilidade de assegurar que a pessoa sendo ministrada receba o proveito da mensagem que Deus lhe quer comunicar.
Não se trata de fazer um show, nem de quantas pessoas possamos impressionar com nossos dons. Quem profetiza está comunicando uma mensagem de Deus. Por tanto, qualquer coisa que impede ou que atrapalha a comunicação clara dessa mensagem está fora de ordem. A meta é comunicar efetivamente a mensagem e ser um reflexo correto Daquele que representamos.
Esse artigo não se trata dos falsos profetas nem das profecias falsas. Tenho outros escritos que falam de tais coisas. Quero destacar nesse artigo uns problemas que vejo frequentemente em igrejas que se identificam como “apostólicas e proféticas”, e quero também oferecer pautas para evitar esses problemas.
 Começarei compartilhando uns casos atuais...
 Caso 1
Lembro-me que fui ministrado por um profeta de muito renome durante um congresso. Eu sabia que a palavra era de Deus, e me impactou muito a unção forte que percebi. Eu tinha um gravador, mas não houve tempo para buscá-lo e usá-lo.
Eu decidi descansar e receber a transferência confiando que a profecia estava sendo gravada pela igreja, e que podia pedir a gravação deles. Eu queria recorrer à voz de Deus - pois cremos que Deus Todo Poderoso nos fala por meio da profecia. Além do mais, somos mandados julgar a profecia – e muitas vezes se requer certa interpretação antes de aplicá-la em nossas vidas. Se Deus estava me dando instruções eu queria assegurar-me que eu estava obedecendo a Deus. Eu queria compartilhar a profecia com minha esposa e família que não estavam presentes.
Acontece que a ministração foi gravada sim pela igreja, mas nunca me entregaram ela. Eu pedi a gravação da profecia varias vezes, e até ofereci pagar qualquer gasto, mas nada. Tratei de anotar o pouco que pude recordar, mas a profecia era comprida e não pude recordar senão uns poucos detalhes.
1° Coríntios 12:7 nos revela que os dons são dados para proveito do Corpo de Cristo. Afinal de contas, recebi pouco proveito dessa ministração. 1° Coríntios 14:3 nos revela que a profecia é para edificação, exortação e consolação. Recebi uma bênção temporal, mas não muita edificação, nem exortação, porque essas coisas vem com a essência da palavra compartilhada – a qual eu não pude me recordar.
Caso 2
O Dr. Bill Hamon, meu pai espiritual, relata a ocasião na qual um homem disse a seu pastor que Deus lhe havia dado permissão para divorciar-se de sua esposa. O pastor não pôde acreditar nele. Não obstante, o homem insistiu, e agregou que Deus lhe falou por meio de uma profecia pessoal que lhe ministrou o Profeta Bill Hamon – (pois sabia o quanto seu pastor admirava o Dr. Bill Hamon). O pastor ainda assim não podia acreditar nele. O homem pegou a fita cassete que tinha a gravação e colocou em um reprodutor, e juntos começaram a escutar a gravação. A profecia falou de várias coisas, mas houve uma parte que dizia: “...filho meu, vou te livrar da carga que tens levado por anos.”
 “Aí está! Está vendo?” exclamou o homem... O pastor sabia do que falava a profecia, e sabia que a “carga” não era a esposa do homem. O engano do coração do homem havia torcido a palavra profética para poder usá-la como licença para deixar sua esposa. Graças a Deus houve uma gravação que puderam revisar para esclarecer as dúvidas e reorientar ao homem. Imaginem-se como o diabo poderia haver usado isso contra o Dr. Bill Hamon se não houvessem tido a gravação... se o homem houvesse se divorciado anunciando a todos que sua justificativa era “a profecia que lhe deu o Dr. Hamon”.
Caso 3
Há alguns anos profetizei a um pastor que Deus lhe daria filhos: uma filha e um filho. Eu não sabia que os médicos já lhe haviam dito que não era possível que ele e sua esposa tivessem filhos por causa de uma incompatibilidade genética. Já houvera duas gravidezes que não terminaram bem, e os bebês morreram. Eles haviam decidido evitar a concepção. No entanto, dentro de pouco tempo sua esposa ficou grávida novamente. No princípio sentiram medo, mas depois se lembraram da profecia. Também se lembraram do que eu havia ensinado da importância de militar a boa milícia com as profecias que recebemos (1° Timóteo 1:18)
Esse pastor e sua esposa puderam escutar novamente a profecia e começar a guerrear no espírito em oração conforme a palavra profética. Os médicos não podem explicar, mas esse casal experimentou duas gravidezes perfeitas, e tem agora uma filha e um filho, ambos completamente saudáveis e que agora servem a Deus juntamente com seus pais.
Se eu não tivesse gravado a profecia, e se esse pastor tivesse tido que depender de sua memória... não sei se poderiam ter tido a confiança de guerrear efetivamente no espírito. No momento que eu lhe profetizei ele não creu na palavra (por causa de sua experiência negativa passada) e pensava que eu estava errado. Então, é muito provável que não tivesse recordado os detalhes da profecia. O fato de haver uma gravação entregue a eles, ambos, ele e sua esposa, puderam fortalecer sua fé, lançar fora as dúvidas e temores, e militar a boa milícia para ver o cumprimento.
 Caso 4
Um profeta itinerante estava ministrando em certa igreja. Viu a um homem solteiro que estava sentado em um lado do templo, e também viu a uma mulher solteira de uns 50 anos, sentada no outro lado do templo. Disse-lhes que deveriam casar-se. É possível que fosse simplesmente uma piada, mas eles eram novos e pensaram que Deus lhes estava falando por meio do profeta. Não houve uma gravação para examinar e julgar. Para piorar a situação, o pastor não lhes entrevistou bem antes de oficializar sua boda – ou teria detectado rapidamente que não era de Deus que se casassem. Não eram compatíveis. Ela nunca amou ao homem, mas não queria desobedecer a Deus. Casaram-se, mas foi um desastre, e terminaram em divórcio dentro de poucos meses.
Se houvessem tido uma gravação... e se houvessem julgado o que foi dito, se houvessem recebido conselho pastoral sábio antes de tomar uma decisão tão grande, poderiam ter evitado o desastre. O resultado final é que ambos ficaram muito feridos, e a mulher (uma crente nova) deixou a igreja.
Nunca devemos basear uma grande decisão em uma só profecia, ainda que seja uma profecia certa. Sempre devemos buscar confirmação e conselho sábio. As profecias devem de complementar o conselho pastoral e vice versa.
Gravar as profecias pessoais é protocolo (regra) para a Rede de Christian International
Meu ponto em tudo isso é mostrar a necessidade de que nos levantemos a um novo nível de responsabilidade como ministros proféticos e que usemos um gravador para toda ministração profética pessoal. Esse é um requisito do Dr. Bill Hamon para todos nós que estamos debaixo de sua cobertura. Os que são filhos verdadeiros se disciplinarão a fazer. É parte do protocolo profético (regra) na Rede Global Christian International.
Pode ser que implementar um novo protocolo nos incomode um pouco no princípio. Cada disciplina nova nos incomoda no princípio. Mas todo protocolo não está desenhado para incomodar-nos, senão que para proteger-nos. É como o protocolo de trânsito: semáforos, letreiros, etc. Incomoda-nos quando temos que parar em um semáforo vermelho – mas seu propósito não é impedir-nos, senão assegurar que cheguemos a nosso destino.
Não é suficiente confiar que todos tenham um telefone com o qual possam gravar suas profecias. Ainda que seja bom se puderem fazê-lo, muitos não levam tais telefones, e os que sim, não é sempre que sabem usá-lo – ou não tem espaço para armazenar a gravação. Nós que somos ministros proféticos devemos tomar a responsabilidade que vem com nosso chamado, e levar um gravador com pilhas novas. Não seja preguiçoso e irresponsável. Seja pró- ativo, prudente, e tome as ações necessárias para assegurar que tudo seja feito com excelência.
Além do mais, devemos não somente gravar todas as profecias pessoais, senão assegurar que as pessoas ministradas recebam as gravações. Em meu caso, sempre deixo com a igreja anfitriã uma cópia de todas as gravações. Como eles conhecem aos indivíduos, eles podem distribuir efetivamente as gravações. Sempre tenho pedido esse favor aos pastores das igrejas onde ministro.
Desconcerto-me às vezes quando alguém me escreve vários meses depois da ministração dizendo que a igreja nunca lhes compartilhou a gravação. Indica-me que o pastor não valoriza a palavra profética como se deve. Prefiro não julgar e marcar- lhes como mentirosos e irresponsáveis, mas em alguns casos pode ser que seja assim. Por isso sempre guardo todas as gravações por no mínimo um ano.
Gravando e repartindo as gravações das profecias, tem muitos benefícios:
1.         Demonstra respeito a Deus e a importância de sua mensagem a um de seus filhos amados.
2.         Demonstra respeito e consideração as pessoas que estão sendo ministradas, para que possam escutar novamente a profecia, julgá-la apropriadamente, interpretá-la e aplicá-la a suas vidas corretamente. Sem a gravação, estão sujeitas a misericórdia de suas memórias, e não poderão recordar tudo... e é possível que vá recordar mal, ou somente as partes que lhes convém.
3.         Demonstra respeito aos pastores das pessoas que estão sendo ministradas, e lhes dá a ferramenta necessária para poderem aconselhar bem a suas ovelhas. A verdade é, sem uma gravação, pode estar fazendo dano ao pastor e a igreja. As profecias muitas vezes falam de nosso potencial, do que podemos ser no futuro – mas nossos pastores sabem qual é a nossa realidade e conhecem quais coisas em nossas vidas necessitam mudanças, antes de que se possa cumprir a profecia.
4.         É uma proteção para a pessoa que está sendo ministrada. Muitas vezes outros que estão presentes escutam a  ministração, mas a escutam desde sua própria perspectiva limitada e logo tratam de controlar ou julgar a pessoa. Uma gravação assegura que toda a profecia seja escutada e examinada.
5.         É uma proteção para o profeta mesmo. Nós tão pouco podemos recordar precisamente o que havíamos profetizado a outros. Eles vão recordar o que lhes convém, e podem torcer as palavras ou mal aplicá-las. Quando não há uma gravação, o profeta corre o risco não necessário de ser mal citado – e logo ter que lidar com as consequências.

6.         É uma questão de responsabilidade e de render contas pelo o que temos profetizado. Se é que nos equivocamos, podemos nos responsabilizar pelo erro e ajudar a efetuar uma solução e entendimento adequado. Se é que era uma palavra correta, se pode examiná-la para ver quais são as condições para ver o cumprimento. (Cada profecia pessoal é condicional, ainda que as condições sejam especificadas dentro da profecia ou simplesmente pelos princípios bíblicos que é a palavra profética mais segura).
Que Deus nos ajude a ser responsáveis, e a levar a ministração a novos níveis de excelência!
 Espero que este artigo lhes seja proveitoso. Se é assim, lhes convido a compartilhar com outros.



Profeta Cliff Bell - Diretor da Red Global Christian International- México

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

6° CULTO DA UNIDADE - EM CRISTO SOMOS UM

Graça e Paz!

Dia 14 de Fevereiro de 2015 foi nosso 6° Culto da Unidade, realizado no Cenáculo Apostólico e mais uma vez marcado com a gloriosa presença do Espírito Santo! 
Foi um grande prazer estarmos reunidos mais uma vez como Corpo e também estarmos em um tempo de edificação e comunhão!
Honrados com a presença do Apóstolo Walter Nola - Presidente da CIP (Comunhão de Igrejas e Pastores) com suas palavras de ânimo e incentivo, do Pastor Agnaldo Faria - Diretor do Instituto Anjos de Deus, do Pastor Apostólico Célio Roberto - Presidente da Igreja Apostólica Altar da Adoração e que foi o preletor da noite e nos trouxe uma palavra gloriosa sobre Unidade, da Pastora Apostólica Karina Campusano - Igreja Cenáculo Apostólico que iniciou a noite em uma intercessão profética pelo bairro Vila Diva e região, por São Paulo e pelo Brasil, dos Presbíteros Alexander Uliana e Money Uliana que atraíram a glória de Deus sobre nós em adoração à Ele.

Os Cultos da Unidade é um projeto que já está em prática, nossa visão é o Reino de Deus, promover unidade entre líderes e ministérios, comunhão e edificação mútua, assim como também gerar capacitação e aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério em cada encontro, provocando assim um avivamento genuíno em nossa nação, através da intercessão corporativa e cobertura de oração uns pelos outros em unidade.

Precisamos ser a resposta para a oração sacerdotal de Jesus nessa geração: Precisamos ser UM, assim como Ele e o Pai o são, e o mundo conheça que Ele é o enviado do Pai através de nós!!!













terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

MARTA OU MARIA???

GRAÇA E PAZ DO SENHOR JESUS!!!


VOCÊ É COMO MARTA OU COMO MARIA?
A Palavra de Deus nos conta no evangelho de Lucas 10.38-42 que Jesus se hospedou na casa de uma mulher chamada Marta, e tinha ela uma irmã que se chamava Maria.
Durante o tempo que Jesus esteve em sua casa, Maria ficava assentada aos seus pés, ouvindo seus ensinamentos. Porém Marta ficava indo de um lado ao outro, preocupada com muitas coisas, ajeitando algo ali, algo acolá, ocupada em muitos serviços, e em um determinado momento ela parou e disse a Jesus: Não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe que venha ajudar-me!
E Jesus lhe respondeu: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas... Porém Maria escolheu a boa parte, e isso não lhe será tirado.
Muitas vezes nos encontramos igual a Marta, cheio de afazeres, muitos serviços, preocupados com as mais diversas situações, preocupados em colocar tudo no lugar de uma hora para outra, muitas vezes nos preocupando com aquilo que nem aconteceu, preocupados com a louça, com a arrumação do quarto, com o carro sujo, com a comida que tem que ser servida na hora, com... com... E tantas coisas, que nem ao menos nos sobra um tempo para ouvir Deus, para receber seus ensinamentos através de sua Palavra, para louvá-Lo, para adorá-Lo, sem tempo para nos prostrar diante do Rei que nos faz seus herdeiros de toda sorte de bênçãos, sem tempo para agradecer-Lhe pelas conquistas, pelos livramentos, por mais um dia de vida e etc.
Sem tempo para dar uma parada, nem que seja rápida, para saber o que Deus tem a nos instruir. Temos muitas vezes escolhido a parte errada, a que em sua maioria das vezes não traz nenhum louvor a Deus.
Temos sido como Marta, nos entregado a correria do dia a dia e deixado de lado Aquele que nos sustenta nessa correria.
Deixemos de ser como Marta, nos tornemos como Maria, dispostos a escolher a melhor parte, estar aos pés do Mestre, ouvindo-O, recebendo seus ensinamentos, sua direção que norteará nossas vidas.
Seja como Maria, escolha a melhor parte: JESUS CRISTO!!!


ENVIE-NOS SEUS PEDIDOS DE ORAÇÃO E ESTAREMOS INTERCEDENDO POR CADA PEDIDO, ROGANDO AO PAI PELAS SUAS BÊNÇÃOS!
NOSSO EMAIL É:
ig.cenáculo@hotmail.com

DEUS TE ABENÇÕE!!!